Criancices: a boa convivência com crianças em condomínios

As regras existem para serem seguidas e promoverem uma convivência mais harmônica, mas se até os adultos sentem dificuldades em segui-las imagine as crianças. Não é raro existirem reclamações de barulho, correria ou pais superprotetores, por isso é essencial saber como lidar com crianças em condomínios.



 


Direitos Básicos dos moradores


Todo morador tem direito à tranquilidade e privacidade, portanto garantir esses direitos não devem ser vistos com constrangimento. Assim, o porteiro ou zelador pode sim ligar para a unidade e solicitar silêncio a pedido de algum morador.


Claro, é essencial lembrar da importância da empatia. Crianças naturalmente brincam, choram, correm e riem, então deve-se respeitar essa natureza dentro de espaços e horários devidos.



Recomendações Gerais


Aqui vão algumas dicas de como promover uma melhor convivência e ainda respeitar o direito da criança em viver a sua infância com tranquilidade:


  1. Aproveitar o espaço da brinquedoteca

  2. Incentivar brincadeiras ao ar livre, com todos os cuidados

  3. Utilizar de tapetes ou carpetes em quartos infantis

  4. Estabelecer a hora de brincar entre 09h e 22h

  5. Enquanto responsável, informar a criança com frequência sobre o que ela pode ou não fazer



crianças brincando em uma fonte perto do condomínio
Criancices: a boa convivência com crianças em condomínios


Criança sozinha no condomínio?


Comumente há casos de pais que deixam as suas crianças aos cuidados dos funcionários do condomínio, o que além de não recomendável não consta nas atividades profissionais daquele prestador de serviço. Eis demais recomendações:


  1. Crianças menores de 10 anos não podem andar sozinhas em elevadores;

  2. É direito do funcionário advertir a criança em caso de incômodo e, caso haja persistência, informar aos pais;

  3. Os funcionários do condomínio não podem ser responsabilizados por acidentes ou qualquer circunstância proveniente de falta de acompanhamento da criança;

  4. Os funcionários também não tem a obrigatoriedade de cuidar de crianças;

  5. O porteiro não tem a obrigação de localizar uma criança e sair de seu posto para isso;

  6. Espaços perigosos como piscinas, escadas, instalações elétricas e elevadores não devem contar com a presença de crianças desacompanhadas.



Recomendações para o condomínio


Para além das recomendações dentro das unidade condominiais, aqui vão algumas dicas para as áreas comuns:


  1. Piso emborrachado em áreas infantis para maior segurança;

  2. Criação de uma brinquedoteca ou playground;

  3. Promoção de atividades infantis coletivas em período de férias;

  4. Manutenção sempre preventiva desses espaços, sobretudo parquinhos;

  5. Manter a caixa de areia limpa (caso tenha) e dar preferência ao modelo atóxico;

  6. Afixar as normas de utilização dos espaços infantis;

  7. Estabelecer horários de uso e outras normas em assembleia.


 


No app do BRCondomínio, as ocorrências podem ser registradas com maior discrição e facilidade, contatando diretamente o síndico. Além disso, pode marcar seu horário na brinquedoteca ou no playground sem interfone ou mediação.


Por fim, seguir essas recomendações é uma forma de celebrar a infância com respeito e harmonia entre os moradores, evitando maiores conflitos e possíveis incômodos. Para mais dicas e informações, acompanhe o nosso blog.