O mistério do andar de cima

Essa história começa em uma noite de ventos fortes e o tilintar da chuva na janela. Tudo estava silencioso, um silêncio mortal onde apenas se ouvia o elevador abrir e fechar no corredor. Todos pareciam dormir e, no andar de cima, sons esquisitos começaram a quebrar a paz da noite.


Móveis arrastando, sons secos no piso. "O que poderia ser aquilo?" O vizinho se perguntou. Os sons seguiam espaçados, algumas quedas de objetos aleatórios, a sinfonia inquieta varria a madrugada.



 


Apesar de parecer uma história de terror, quem nunca teve ou conhece alguém que já teve aquele vizinho do andar superior que resolve mover a mobília no meio da noite ou que chega com saltos batendo na madeira do piso? Esse fim de semana pode até ser Halloween, mas essa cena de história de fantasmas não acontece só em outubro.


Portanto, fica a dica: que tal implementar um artigo dentro do Regimento Interno? Para esse fim, não é necessária muita burocracia, basta apresentar em assembleia geral e contar com o voto da maioria para validá-lo. Algo como:


"Durante o período das 22h às 08h, é proibida a propagação de ruídos excessivos tais como o volume alto de aparelhos sonoros, uso do liquidificador ou situações afins no interior das unidades condominiais."


Assim, casos muito recorrentes ou mais graves podem ter respaldo jurídico para que a exigência pelo respeito de espaço sonoro seja implementado, incluindo advertências e multas também estipuladas no Regimento Interno.



mulher misteriosa saindo de casa com barulhos de salto no piso
O mistério do andar de cima

 


É claro que por vezes acabamos justificando esses pequenos incômodos com expressões como: "é rapidinho", "só tenho esse tempo para fazer isso" e etc. No entanto, nos colocando no lugar da pessoa que está sofrendo essa invasão sonora de privacidade, é compreensível o quanto coisas tão pequenas podem se tornar problemas maiores.


Também é importante lembrar que dentro do horário determinado, não há razões para ocorrências de barulho, uma vez que está previsto em Regime Interno. Deve-se compreender que essa determinação é válida e protege o interesse de ambas as partes: do vizinho que precisa resolver as suas pendências e do possível vizinho incomodado.


No entanto, por vezes, existem moradores idosos ou com crianças de colo que precisam de um acesso mais constante ao silêncio, ao menos em momentos tão cruciais do dia, como o de dormir. Por isso, aqui vão 7 dicas simples para ser um bom "vizinho-fantasma":


  1. Retirar os sapatos na porta de casa, evitando os sons de pisadas;

  2. Determinar uma hora de dormir para as crianças;

  3. Colocar protetores para pés de móveis (cadeiras, por exemplo);

  4. Pôr tapetes nos quartos infantis;

  5. Incluir na rotina um horário limite para cozinhar e lavar roupas, evitando o uso de liquidificador ou máquina de lavar tarde da noite;

  6. Deixar os reparos necessários para períodos matinais ou vespertinos. Caso não possa durante a semana, dar preferência a esses mesmos períodos aos fins de semana;

  7. Em caso de maiores reformas, avisar antecipadamente os vizinhos que podem ser prejudicados pelo barulho.



O mistério do andar de cima

 


Ainda assim o seu vizinho não colabora, mas você tem receio de falar com ele mais uma vez? No app do BRCondomínio, ocorrências podem ser registradas discretamente com mensagem direta ao síndico, evitando assim as conversas desconfortáveis.


Esperamos ter colaborado para uma convivência mais harmônica e agradável no seu condomínio. Siga acompanhando o blog do BRCondomínio para mais matérias.